Rendimento ativo vs rendimento passivo

Ainda existem muitas pessoas que, infelizmente, não conhecem os dois grandes tipos distintos de rendimento: o rendimento ativo e o rendimento passivo. Mas afinal de contas, quais são as principais diferenças entre estas duas formas de rendimento? Não se preocupe que eu explico tudo, de forma bastante resumida, no artigo de hoje. Vamos lá!

Rendimento ativo vs rendimento passivo

A principal diferença entre o rendimento passivo e o rendimento ativo é que no passivo o dinheiro trabalha por si, enquanto que no ativo o mesmo é gerado através da realização de um trabalho. No último caso, troca o seu próprio tempo por dinheiro. Este tipo de rendimento é o mais comum, mas o menos inteligente do ponto de vista financeiro. Ainda assim, é extremamente importante possuir, pelo menos, uma fonte estável e constante de rendimento ativo.

O grande problema do rendimento ativo prende-se ao facto de que, se deixar de trabalhar, não ganha dinheiro. Por sua vez, no caso do rendimento passivo, o mesmo gera receita sem trabalho da sua parte, ou seja, ganha dinheiro enquanto dorme, viaja ou está de férias. Como realizou um investimento inicial (de tempo, dinheiro, etc.), o mesmo fica a render, por um período determinado ou indeterminado de tempo.

Um exemplo muito simples e prático de rendimento passivo é o ato de escrever um livro. Todo o trabalho de escrever um livro é executado apenas e só uma vez. Depois do trabalho estar feito, pode vender o mesmo livro para o resto da sua vida, sem nunca mais perder um minuto do seu precioso tempo a trabalhar nesse mesmo projeto. Ou seja, uma vez terminado o livro, estará a gerar rendimento sem ceder mais do seu tempo em troca. Isto é rendimento passivo.

Além das vantagens do rendimento passivo saltarem de imediato à vista de todos (afinal de contas, quem é que não quer ganhar dinheiro enquanto dorme ou viaja em férias?), as fontes deste tipo de rendimento devem ser vistas, em condições normais, como um complemento do rendimento ativo. Dito isto, o ideal passa por possuir, no mínimo, uma fonte de rendimento ativo (o seu emprego por conta de outrem, por exemplo) e, na medida do possível, o maior número de fontes de rendimento passivo. A título de exemplo, estima-se que os as pessoas mais ricas do mundo possuem, em média, cerca de sete fontes de rendimento distintas (entre ativas e passivas). É óbvio que, numa fase inicial, não precisa de ter tantas fontes de rendimento ativo e rendimento passivo, mas é extremamente importante começar (e começar o quanto antes) a diversificar o seu portfólio financeiro.

Exemplos de rendimento ativo

  • Trabalhar por conta de outrem (o famoso emprego das 9h às 17h)
  • Trabalho extra (músico ou fotógrafo de casamentos, explicador, freelancer, etc.)

Exemplos de rendimento passivo

  • Juros de uma aplicação financeira
  • Vender produtos digitais
  • Investir em ações
  • Criar um blog/site
  • Criar um canal no YouTube
  • Links de afiliados
  • Arrendar uma casa
  • Alugar um carro
  • Escrever um livro
  • Vender fotografias ou músicas

Como pode ver, ganhar dinheiro enquanto dorme ou viaja não precisa de ser encarado como um “bicho de sete cabeças” e muito menos como um mero sonho, mas sim como uma real possibilidade. Agora que já sabe a diferença entre rendimento passivo e rendimento ativo, procure analisar com exatidão quais são os melhores métodos de rendimento passivo para si (mas não desleixe a sua fonte de rendimento ativo). Se se sente à vontade a escrever sobre um determinado tema (nicho), crie um blog no WordPress. Se tem um apartamento inabitado, alugue-o no Airbnb. Se tem dinheiro parado, invista-o no mercado financeiro. Se possui skills de edição de vídeo e tem à vontade em frente das câmeras, crie um canal no YouTube. Independentemente do que achar que se adequa melhor a si, o importante é começar, hoje!

Reply